Colapso em Manaus

Na semana passada, a situação dos hospitais no Amazonas causou grande indignação.

O aumento de internações por covid-19 em Manaus provocou um novo colapso no sistema de saúde da capital amazonense, com pacientes morrendo por falta de oxigênio nos hospitais. E como chegamos a esse nível de catástrofe?

1° O Aumento de casos já era previsto por conta das festas de final de ano. Para tentar conter a propagação da doença, o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), determinou o fechamento de serviços não essenciais por 15 dias no final de 2020 a fim de reduzir a circulação de pessoas e, assim, diminuir os riscos de transmissão. Mas, acabou voltando atrás na decisão, após ter sido pressionado por representantes comerciais.

Sem as restrições, a maior circulação de pessoas nas ruas contribuiu para o aumento da transmissão, e consequentemente, mais internações e consumo de oxigênio.

2° No dia 07 de janeiro, a White Martins, empresa responsável pelo fornecimento de oxigênio, informou ao governo federal e ao ministério da saúde, que não teria condições de suprir a demanda crescente. Mesmo operando no limite de sua capacidade, a quantidade produzida era insuficiente para atender a demanda.

E o pior de fato aconteceu. O oxigênio não foi suficiente para suprir a demanda de internações e com isso, os hospitais viram seus pacientes morrendo por asfixia, por conta da falta de insumo.

Diante do caso que ganhou grande repercussão, não pra menos, o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Benjamin Zymler cobrou do Ministério da Saúde, nesta semana, informações sobre a falta de planejamento para prever e lidar com a falta de oxigênio no Amazonas. Zymler também requisitou dados sobre as medidas adotadas para resolver o colapso na saúde do estado.

 

Quanto ao abastecimento de oxigênio no Amazonas, o estado tem contado com doações para se manter em meio ao Colapso da saúde enfrentada pelos hospitais manauaras.

O humorista Whindersson Nunes iniciou na internet uma campanha de doações de insumos para o estado. A causa foi abraçada por diversos artistas, que colaboraram com doações. Só o cantor Gustavo Lima, dou 150 cilindros para o AM.

O presidente da Venezuela, também se solidarizou com a situação e mandou um carregamento de 107 mil m³ de oxigênio a Manaus.

Fonte: https://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2021/01/16/falta-de-planejamento-e-negacionismo-por-que-manaus-ficou-sem-oxigenio.htm
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *