A Saga da Vacina no Brasil

E

u sei que ninguém aguenta mais falar sobre coronavírus. Mas, infelizmente, enquanto a pandemia não acaba, esse é o assunto das principais manchetes e, por isso, não poderíamos deixar de fora do nosso plantão. Então, para conseguirmos falar sobre outros assuntos que também foram destaque essa semana, vou falar rapidamente sobre a Saga da Vacina aqui no Brasil.

Na última quarta-feira, o governo anunciou o Plano Nacional de Imunização para o combate ao coronavírus. E, mesmo que ainda não tenha um cronograma definido, já começa nos dar um pouco de esperança. O plano de vacinação apresentado pelo Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, destaca que:

– A vacina será gratuita e fornecida apenas pelo SUS.

– Apesar das negociações com diversos laboratórios, o governo não confirmou qual vacina será utilizada. Lembrando que as principais candidatas são Oxford/AstraZeneca, Pfizer/BioNTech, e o Instituto Butantan/Sinovac.

– Apesar do cronograma de inicio ainda não ter sido divulgado, pois depende do registro da vacina pela Anvisa, o Governo prevê que a que a vacinação no Brasil seja concluída em 16 meses, sendo os primeiros quatro meses para imunizar todos os grupos prioritários e os outros 12 meses seriam para vacinar a população em geral.

Ou seja, o plano ficou assim:

 

1° Mês – serão vacinados os trabalhadores da área de saúde, além de Indígenas aldeados em terras demarcadas, pessoas com 60 anos ou mais institucionalizadas e pessoas de 75 anos ou mais também devem receber a vacina nessa primeira fase.

2° Mês – serão os idosos entre 60 e 74 anos.

3° Mês – pessoas com comorbidades, ou seja, com doenças que podem agravar a situação de saúde da pessoa em caso de uma contaminação com o vírus.

 

4° Mês – trabalhadores da educação, população em situação de rua, membros das forças de segurança e salvamento, trabalhadores do transporte coletivo e transportadores rodoviários de carga e funcionários do sistema prisional e população carcerária.

 

A partir do 5° mês – o restante da população que não se enquadrou em nenhum dos grupos acima.

 

O governo confirmou que todas as negociações em andamento totalizam cerca de 350 milhões de doses. Portanto, vale ressaltar que, apesar do plano do governo, o cumprimento do prazo vai depender da quantidade de vacina que o governo conseguir.

 

Quer ficar por dentro das principais notícias da semana? Assista ao Plantão JN.

 

Fonte: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-55340011
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *