Presidente Jair Bolsonaro declara que “o Brasil está quebrado”

Nessa semana, o nosso queridíssimo presidente da república Jair Bolsonaro, voltou a ganhar destaque por suas declarações. A polêmica da vez veio com a seguinte frase:

“Chefe, o Brasil está quebrado, chefe. Eu não consigo fazer nada. Eu queria mexer na tabela do imposto de renda. Teve esse vírus potencializado pela mídia que nós temos aí.”

A fala sobre a situação do país vai na direção oposta da mensagem que a equipe do ministro Paulo Guedes busca passar sobre a recuperação da economia. O ministro até tentou contornar a situação, defendendo que Bolsonaro estava se referindo a situação do setor público, que seria uma herança deixada pelos excessos de gastos de governos anteriores.

Já o secretário de Política Econômica, Adolfo Sachsida, afirmou que o Brasil não está quebrado, como disse o presidente Jair Bolsonaro, entretanto, ressaltou que a situação fiscal é delicada. Em defesa a fala do Presidente, o secretário afirmou que “Bolsonaro apenas usou um jargão popular para expressar uma situação, já que no momento não é possível dar novos benefícios tributários”.

A grande discussão tem sido em torno a uma possível prorrogação do auxílio emergencial, já que sem a vacina e o aumento constante de numero de casos ainda mantem o Brasil em estado de calamidade.

É inegável que o auxilio emergencial foi o que deu dignidade a muitas famílias durante a pandemia, e que sem ele muitos brasileiros não teriam dinheiro para sustentar suas casas e nem comprar comida para sua família. Mas, olhando o lado fiscal e com uma visão de longo prazo, os gastos com o programa chamam a atenção.

Até o final de dezembro, o governo gastou R$ 509,1 bilhões em ações e investimentos relacionados ao combate à pandemia do novo coronavírus. A maior despesa foi com o pagamento de cinco meses do auxílio emergencial chega a 294 bilhões.

Se no curto prazo o benefício ajuda as famílias com menos renda, no longo prazo, se o governo continuar gastando com o auxílio emergencial a dívida pública irá aumentar mais ainda. E, com isso, os juros também aumentariam e impactariam a inflação e o desemprego.

Apesar dos impactos econômicos, a declaração de Bolsonaro gerou reações de economistas, que cobraram do governo reformas estruturais na área econômica.

E por fim, um dia depois, na quarta feira, o presidente tentou minimizar a situação, afirmando que “o país está uma maravilha”.

 

 

Fontes:
https://www.infomoney.com.br/economia/bolsonaro-diz-que-brasil-esta-uma-maravilha/
https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2021/01/05/brasil-nao-esta-quebrado-mas-situacao-fiscal-e-delicada-diz-secretario.htm
https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2021/01/05/prorrogar-auxilio-pioraria-situacao-dos-mais-pobres-diz-secretario.htm
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *